Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Creditos online

Tudo o que procura saber sobre crédito pessoal, créditos online, finanças pessoais e conselhos de poupança.

Creditos online

Tudo o que procura saber sobre crédito pessoal, créditos online, finanças pessoais e conselhos de poupança.

Qua | 21.07.10

Credito e Internet

Nelson

Credito e internet fizeram um casamento perfeito.

Hoje em dia milhares de pessoas simulam pela internet qual a melhor solução de credito para si com todas as vantagens da internet:

 

  • Anonimato. Não precisamos de estar a fornecer dados pessoais, que depois poderiam ser usados de forma abusiva para campanhas de marketing agressivo e indesejado.
  • Sem deslocações nem perdas de tempo. Tudo pode ser feito no conforto do nosso lar. Procurando um credito pela internet, não precisamos de nos deslocarmos a qualquer sitio, sujeitando-nos ao horario especifico das instituições de crédito, sem termos que esperar pela nossa vez, e podemos estar a fazer outras coisas em simultâneo, como ver um programa de televisão enquanto aguardamos o resultado da simulação.

Sugiro que abra uma folha de calculo (em Excel ou Scalc do Openoffice) e vá preenchendo uma tabela, para que possa comparar mais facilmente as informações recolhidas. Assim será mais facil filtrar a informação que realmente lhe interessa, e será mais facil escolher o seu credito Internet.

Sex | 09.07.10

Problemas de Crédito - Como resolver a sua situação

Nelson

São muitos os portugueses com problemas de crédito. Estamos num periodo terrível do ponto dee vista financeiro e económico e muitas familias sufocam para conseguir pagar as suas prestações, apesar de os créditos á habitação benefeciarem de uma taxa Euribor irracionalmente baixa.

Bom mas se deixou algumas prestações em atraso, deve saber que o seu bom nome ficou manchado perante as instituições de crédito, e que se necessitar de um empréstimo (pessoal, automóvel, habitação, ou para qualquer outro fim, poderá ter uma tarefa árdua pela frente, a menos que estaja disposto a fazer um empréstimo numa instituição de "crédito rapido" e a pagar uma boa quantia em juros.

O que acontece a quem deixa de pagar é que o seu incumprimento é reportado ao Banco de Portugal, e passa a fazer parte da lista negra do BdP (esta troca de informações é denominada de Central de Responsabilidades de Crédito ou CRC). Depois esta lista é facilitada a todos os bancos que concedem crédito, e passa-se a ter graves problemas de crédito.



E isto fica para sempre?

 

Segundo a informação disponibilizada pelo site do Banco de Portugal para o crédito não:


Citação de: http://clientebancario.bportugal.pt/pt-PT/ResponsabilidadesdeCredito/PerguntasFrequentes/Paginas/default.aspx


"24 - Atrasei-me no pagamento da prestação de um empréstimo concedido por uma instituição financeira, mas acabei por saldar essa dívida. Essa situação fica reflectida para sempre no Banco de Portugal?
A informação transmitida à CRC tem periodicidade mensal, sendo as entidades participantes obrigadas a comunicar ao Banco de Portugal os saldos em fim de cada mês das operações de crédito realizadas com os seus clientes, reflectindo por isso a situação das responsabilidades dos seus clientes nessa data.
Os registos na CRC das situações de incumprimento ocorrem, por comunicação das entidades participantes, para as centralizações correspondentes aos meses em que se verificam os atrasos no pagamento. Havendo pagamento, deverão cessar as comunicações das situações de incumprimento para as centralizações correspondentes aos meses em que se verificaram esses pagamentos.
Após a comunicação, a base de dados é actualizada. As situações de incumprimento reportadas no passado continuarão a constar dos registos relativos aos meses em que ocorreram, mas deixam de figurar a partir da centralização correspondente ao mês em que foi efectuado o pagamento. O Banco de Portugal disponibiliza às entidades participantes na CRC apenas a informação respeitante ao mês mais recente. A prestação de informação histórica (informação anterior à do último mês de centralização distribuída às entidades participantes) só é possível em situações excepcionais, devidamente justificadas pelos requerentes, designadamente para efeitos de apreciação de reclamações apresentadas pelos devedores ou para satisfação de pedidos de informação de entidades públicas (ex: Tribunais)."

 


Por isso, depois de saldadas as dividas, o nome fica limpo e deixamos de ter problemas de crédito. Quem acidentalmente ou numa fase menos boa esteve impossibilitado de conseguir pagar as suas prestações atempadamente, não terá que ser discriminado pelas instituições de crédito eternamente.  É saldar a divida assim que seja possível, esperar cerca de um mês para que saia um novo relatório do BdP sem o nosso nome e continuar com a vida para a frente.

Seg | 05.07.10

Irresponsabilidades no crédito estão a ser pagas agora

Nelson

Até ao inicio dos anos 80, as famílias portuguesas olhavam para o crédito com muita desconfiança e fugiam dele.

Em poucos anos o panorama mudou radicalmente, os portugueses passaram a usar e abusar do crédito (credito pessoal, credito á habitação, crédito automóvel, etc..) e os valores mais antigos como o da poupança, ou pé de meia como era comummente designado desapareceu do mapa.

O crédito passou a fazer parte das nossas vidas desde cedo. Muitos dos meus colegas que não tinham dinheiro para acabar os seus estudos superiores recorreram a créditos especiais para estudantes para o conseguirem. Deram com isto inicio a uma relação de longa data comdividas ás costas. Depois de o curso acabado precisamos de um automóvel para ir trabalhar e como já estamos crescidos  e precisamos de uma casa para viver, porque não comprar já uma casa ao invés de estar a  arrendar? Com o ordenado que agora recebemos conseguimos suportar isto, com alguma dificuldade mas conseguimos.

 

E é desta forma que grande parte de nós começa a nossa vida activa, ainda com um emprego incerto, mal pago e sem estabilidade mas já com cerca de três créditos ás costas, esses sim são certos ao final do mês não podemos pensar em falhar pois podemos ver as nossas vidas complicadas.

 

De quem é a responsabilidade da situação que se vive neste momento? Dos portugueses que  passaram de poupadinhos a consumistas exagerados ou das entidades de financiamento que dominam de forma impiedosa a publicidade no nosso país, quer seja na internet, na tv, na rádio, em revistas, em sei lá mais aonde ? Ou do estado que tem permitido que a situação progrida sem fazer nada para a regularizar?

 

Sinceramente acho que a culpa é de todos nós, mas quem paga a factura são os consumidores por isso têm que começar a pensar em usar o crédito de uma forma mais responsável.